Quem sou eu

Minha foto
Maceió, AL, Brazil
Auditor-Fiscal do Trabalho

sábado, 5 de novembro de 2011

Elevadores tracionados a cabo - Uma ameaça?

Meus amigos, em mais este tópico que sai um pouco do foco das NR's propriamente ditas, optamos por abordar um pouco mais a fundo o assunto Elevadores de obra tracionados a cabo.

Já falamos um pouco sobre eles (e sobre o acidente ocorrido em Salvador que matou nove trabalhadores da construção civil) em nosso post sobre a Vídeo-Aula 48.
Quem se interessar, basta clicar AQUI.

Hoje resolvemos disponibilizar alguns documentos que envolvem a inspeção e manutenção deste tipo de equipamento e, junto com eles, um vídeo que mostra um teste frustrado do freio de emergência tipo cunha.
Freio tipo cunha??
O freio cunha é um tipo de freio que é acionado automaticamente quando a cabine do elevador atinge uma velocidade superior à velocidade normal de operação do equipamento. Ao superar essa velocidade, o freio é acionado e, através do atrito com os cabos de aço que ficam nas laterais da cabine, o elevador pára.

É por isso que a NR-18, em seus itens 18.14.22.4 "a" e 18.14.23.3 "b", exige que os elevadores tenham sistema de frenagem automática. Eis aí o freio cunha!

Certamente surgirá a pergunta: Como garantir que o freio esteja funcionando??
A Portaria 157/2006 é clara em seu art. 3º, parágrafo único: "A eficiência dos sistemas de frenagem automática deverá ser comprovada através de "Laudo de Capacitação Técnica", emitido por empresa legalmente habilitada, do qual constarão os métodos de ensaio adotados".

Outra pergunta, consequência da resposta anterior: Com qual frequência esses ensaios devem ser realizados para a emissão do tal Laudo?
Resposta: consulte o fabricante! A Hércules, uma das fabricantes brasileiras, instrui no manual do elevador modelo T-1515 que o referido teste seja realizado de 3 em 3 meses (veja na página 42 do Manual de Instruções).
Logo: teste realizado, laudo emitido!!

E um detalhe de EXTREMA importância que quase passa despercebido neste post: uma vez que os cabos laterais à cabine servem para a frenagem do equipamento (que funciona por atrito), é imprescindível que esses cabos não estejam sujos de graxa. Logo, graxa nos cabos do sistema de frenagem = situação de grave e iminente risco à integridade física dos trabalhadores = INTERDIÇÃO IMEDIATA!!

Existem VÁRIOS outros dispositivos de segurança específicos para elevadores de obra tracionados a cabo, mas como o objetivo do post é disponibilizar o material, citaremos apenas o freio de emergência, foco do vídeo abaixo.
Quem se interessar pelas demais exigências normativas sobre o tema, basta acessar o item referente ao assunto na NR-18.

A seguir, o vídeo que mostra o teste de freio cunha.


Reparem que, uma vez que o sistema não funcionou, foi necessário que o operador do guincho acionasse o freio do motor - que também não estava em bom estado de conservação, visto o zunido anormal que é escutado no final do vídeo (um som meio estridente).
Agora respondam: E se o elevador estivesse repleto de passageiros e o freio do motor também não funcionasse? Pois é. Foi o que aconteceu em Salvador.

Abaixo seguem alguns arquivos interessantes relacionados ao elevador tracionado a cabo:

Check-List mensal - Mecânico (modelo 1) (elaborado com base no plano de manutenção da Mecan - outra fabricante nacional)

Outras questões relativas à segurança desse tipo de equipamento também já foram abordadas em nossa Vídeo-Aula 51, referente à NR-12.

Agora, perguntamos: Um equipamento que carece de tantos dispositivos de segurança pode ser considerado SEGURO? Cada um que reflita de acordo com sua própria consciência...

E, para terminarmos, disponibilizamos a ata da reunião do Comitê Permanente Nacional sobre Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção Civil - CPN que concluiu (item 10.5), entre outras coisas, que a utilização de elevadores de obras tracionados a cabo deve ser PROIBIDA para o transporte de pessoas a partir de maio de 2013.
Interessado? Clique AQUI.

Pois é. Podemos estar enganados, mas parece que o próprio CPN já respondeu à pergunta acima...

Pessoal, ficamos por aqui.
Esperamos, sinceramente, que o material disponibilizado possa ajudá-los no dia-a-dia.
Dúvidas, críticas ou sugestões, podem nos enviar um e-mail ou usar o espaço aí debaixo do blog (o que preferimos, pois assim compartilhamos nossas dúvidas).

O abço de sempre.
Fiquem com Deus.

E até a próxima!
Tchau!!

7 comentários:

  1. Sabino seu blog é ótimo na verdade uma bíblia para quem gosta de segurança do trabalho.

    ResponderExcluir
  2. junior,
    se levarmos em consideração que "bíblia" é o coletivo de livros e que, no nosso caso, podemos entender que bíblia se refira a um conjunto de posts referentes à área de SST, concordamos em gênero, número e grau.
    Mas nada além disso, ok? :)
    Abços e bom trabalho!!

    ResponderExcluir
  3. Ola Alexandre.
    Parabens pelo blog, Muito objetivo e com mensagens claras.
    Suas colocações a respeito das NRs estão me ajudando muito,
    fica com deus,desde ja um feliz natal, e um 2012 repleto de realizações.
    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Muito obrigado!! De coração.
    Fico satisfeito em saber que o material tem contribuído para seu aprendizado.
    Forte abço!!

    ResponderExcluir
  5. Conheci seu blog hoje, e já assisti a metade dos videos, está me ajudando muito mesmo, parabéns amigo e continue assim.

    ResponderExcluir
  6. Oi Alexandre, boa tarde! recebi um email hoje referente ao "fim de Elevadores a Cabo" e nele informa que nao vai ser proibido o uso do mesmo . O documento é de maio deste ano, mas muitos clientes aqui da empresa ainda estao em dúvida.
    Existe um documento mais recente? Aonde posso conseguir?

    Seu Blog é ótimo! Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. olá,gostei muito do blog,mas até hoje não tivemos nada de anormal com nossos elevadores tracionados a cabo,temos varios e uma empresa especializada que cuida de cada um deles e tudo que eles pedem fazemos com satisfação, pois até agora é altamente satisfatório os custos que não são muitos e o estado que se encontram ;
      o que aconteceu em salvador não é de se espantar pelo estado que estava o equipamento.
      temos que entender que qualquer equipamento tem que ser cuidado como se fosse um carro se não cuidarmos não funciona direito.
      temos tambem elevedores cremalheira e na verdade confio muito mais nos outros a cabo que não ficam apenas pendurados para mim muito mais perigosos e barulhentos;
      grato.
      13 02 2014..

      Excluir